Destaque Light & Diet

Saga da Gordinha: ´Eu te amo´ ou ´Como você emagreceu?´ -55Kg de Dani

Meninas, há tempos não colocava um depoimento motivacional aqui no blog, né? Mas fiquei impressionada com a história de Dani e pedi pra ela contar um pouquinho da sua história pra a gente! Depois da bariátrica ela perdeu 55Kg e conta todos os perrengues e alegrias dessa decisão. Dani, MUITO OBRIGADA por nos inspirar com seu depoimento, você está ainda mais linda E SAUDÁVEL!
image
¨O meu nome é Danielle Guedes, sou Pernambucana, Graduada em Arquitetura e Urbanismo, pós graduanda em Design de Interiores e especialista em Vitrinismo. Em 2009, fundei o NAV – Núcleo de Arquitetura e Vitrinismo para atuar nas áreas de Arquitetura, Urbanismo, Design de Interiores e Vitrinismo. 
Durante toda a minha infância fui gordinha, costumo dizer que ao respirar muito fundo, ganho 5kg. Hoje, aos 28 anos procuro sempre o meu bem estar. Em meados de 2006 tomei uma atitude radical, após receber alguns “depoimentos” no famoso Orkut, de um (então na época) conhecido. Onde, nestas mensagens, ele relatava como havia sido o seu processo de emagrecimento, como um “hamburguer da MC Donald’s” para um gordinho. Tudo parecia fácil e lindo!!! Conversamos um pouco e decidi marcar minha consulta. E chegado o grande dia, o Dr. João Evangelista, gastro e cirurgião de excelente qualidade, me apresentou todo o procedimento cirúrgico, assim como os milhões de exames que eu precisaria fazer para que o processo pudesse caminhar. Saí do consultório com mil dúvidas, mas na manhã seguinte eu já comecei a grande batalha, que foi realizar um a um de todos os laudos solicitados pelo plano. Lembro bem, que aos 20 anos eu já estava hipertensa devido ao excesso de peso e com um IMC pra lá de gigante (imc=46). A decisão interna foi tomada e a maior batalha foi “avisar” aos amigos e familiares que eu precisaria do apoio deles, pois eu havia decidido viver de uma forma mais feliz e saudável! Sim, F-E-L-I-Z! Sou e sempre fui ligada a moda, sempre fui de um bom gosto extremo e sempre fui podada a comprar apenas as roupas que tinham o manequim que me coubesse. 
Sabe o que é tu DESEJAR um jeans maneiro e só ter aquele da sessão de gestante? Sim, vocês que usam manequim 38 não sabem como isso é desesperador. Enfim, exames concluídos, família e amigos convencidos que este seria o melhor caminho a grande batalha com o plano de saúde. Vocês pensam que só porque você paga um plano de saúde top ele é legal na hora de um procedimento cirúrgico? Ta muito enganado! Lutei por 40 dias, para que a Unimed Rio pudesse liberar umas danadas de agulhas de veras (novas), que o meu médico exigia. Por fim, consegui e chegou o grande dia!
Comprei camisolas novas, chinelinho de hospital e fui com toda fé e coragem de quem após três dias voltaria linda e magra para casa. Ideia de quem pensa que uma cirurgia bariátrica é como entrar em um forno de microondas e que após aquele tantinho de tempo você sai linda e gostosa. Pois bem, caiu a ficha e a realidade é muito mais dura sabe… Me operei, na mesma madrugada senti muitas dores no abdomem (ok, eu conversei rios na sala de recuperação e me enchi de gases) e o meu mundo caiu. Lembro que liguei chorando pra o um grande amigo/irmão, voltar com as cintas que ele havia levado para lavar. Entrei em um processo de infecção, tive febre, manchas pelo corpo e nenhum exame dizia nada. Lembro que meu médico me solicitou exames de A a Z, tirava sangue mil vezes por dia, simplesmente todas as equipes de médicos da Unimed Recife II passaram pelo meu quarto e por fim, fizemos uma tomografia que mostrou que havia um foco infeccioso alojado perto do meu reto e do ovário. Mas nada foi assim tão simples, para fazer essa tomografia no hospital, a máquina só suportava até 100kg e eu havia me operado no meu auge de peso, com 115kg. Fui de ambulância para uma clínica para realizar o exame e descobri que pra viver, você primeiro morre. Pois a danada chacoalhava mais que tudo no mundo e eu por dentro estava toda cirurgiada. Há, para o exame você tem que tomar litros de água, mas como se meu estomago havia sido reduzido para 20ml? Custei um ano esperando e ao começar o procedimento, tive alergia ao contraste e fui medicada com nada mais, nada menos que corticoide. Isso, ele faz você ficar inchada e reter liquido (como vocês bem sabem). 
Mas e aí, eu não fui me operar para voltar magra? É, naquele dia eu só queria voltar viva! Foi então que o Dr. João decidiu “abrir, lavar e aspirar” e com isso salvar a minha vida. Me submeteu a mais um procedimento cirúrgico por videolaparoscopia e removeu o liquido infeccioso e passei mais 7 dias tomando medicação para que eu pudesse receber alta. Eu que entrei para sair em 3 dias, passei 12 dias internada e lembro como hoje a frase que eu repetia para minha mãe: “nem filho eu quero ter mais, não faço mais nenhum procedimento cirúrgico!”.
Ao receber alta e chegar em casa, que a guerra começou… São 15 dias de dieta liquida, 20ml a cada 20min e depois mais 15 dias de dieta pastosa. Ao completar 30 dias, eu já havia perdido 19kg e comer uma torrada com poleguinho, parecia que eu estava comendo um manjar dos deuses. Eu já me sentia quase uma globeleza. Vocês bem sabem que junto aos quilos, vão os líquidos e você desincha mega né? Foi quando eu tomei todas as forças do mundo e cumpri rigorosamente o cardápio que a nutricionista atualizava regularmente. No procedimento cirúrgico, além do isolamento de uma parte do estômago é feito um desvio no intestino e com isso, sua absorção cai em 50% por volta de 2 anos. Tempo este que os médicos alegam ser o tempo de vida que a sua célula mais gorda, pede para que você volte para o peso anterior. Após isso, ela simplesmente morre e eu felizmente consegui matar muitas! rsrsrs
image (1)
Erradamente, perdi muito peso e não fiz nenhum tipo de atividade física. A não absorção total do organismo faz com que consequentemente sua pele fique uma droga, sendo necessária a ingestão de colágeno, algo que eu também não fiz a tempo e fiquei com um excesso de pele grande.
Ao passar dos anos, por incentivo de um grande amigo (na época namorado), comecei a fazer exercícios físicos e passei a descobri um novo estilo de vida. Passei a valorizar mais a minha alimentação e com isso perdi mais peso e troquei muita “coisa” por massa muscular, fazendo com que minha exigência corporal se tornasse maior a cada dia. Comecei a sentir prazer em uma aula de exercícios aeróbio, a simplesmente treinar musculação com frequência não porque era gostoso, mas por que eu estava ficando finalmente gostosa! rsrsrsrs
Depois de diversas idas e vindas ao cirurgião plástico Dr. Gerson Parísio, finalmente criei vergonha na cara e parei tudo na vida um tempo para cuidar de “coisas” que realmente me incomodavam. Vocês bem sabem, como citei acima, sou arquiteta e PLENAMENTE atuante e parar tudo, chegou a me doer (rsrsrs). Mas eu não podia ter tomado decisão mais linda e gratificante na vida. Fiz uma braquioplastia (plástica nos braços) e uma abdominoplastia (plástica na barriga). Hoje estou ainda com 5 meses de operada e já vejo mudanças radicais no meu corpo. Associei alimentação, drenagem e treinos para agilizar os resultados da cirurgia.
image (3)
Para quem teve paciência de ler até o final, está é um pouco da história do meu emagrecimento, que não foi nada rápida (8 anos) e muito menos fácil. Mas que com toda certeza eu faria todo o processo umas 10x se necessário fosse. Lembro bem que quando fui fazer as plásticas tive um medo absurdo de morrer e brincava com alguns amigos “se eu morrer, me enterrem de biquíni!” e afirmo, viver com saúde e com qualidade de vida nada mais é do que viver bem com você e com o seu espelho!
Por volta de 38 dias do pós cirúrgico das plásticas, resolvi escrever um texto e publicá-lo em redes sociais (euteamoouemagrecer@blogspot.com.brfacebook.com/euteamooouemagrecer), como o instagram (@blogeuteamoouemagrecer), para passar um pouco do tempo, mesmo sabendo que eu pudesse ouvir críticas ou elogios. Passei a fazer o meu diário alimentar, contar um pouco das minhas frescuras com moda, salão de beleza e com cerca de 3 meses já tenho mais de 7 mil pessoas me seguindo. A troca de histórias é o que mais me motiva hoje para não desistir da minha história. Tem dias que estou com preguiça de ir a academia, mas pela cobrança de que existem pessoas ali esperando para dividir comigo esse momento, vou, faço minhas postagens e descubro que tenho que continuar, para que assim eu continue inspirando e ajudando, cada dia mais pessoas.”

 image (2)  image (4)

E aí… qual era mesmo a sua desculpa?

Sobre a blogueira

Cuca Amorim