Comportamento Destaque Light & Diet

Saga da Gordinha: autoaceitação 

Há tempos compartilho com vocês a minha luta com a balança… o efeito sanfona é uma dura realidade e já fiz todos os tipos de dieta que existem na tentativa de ter uma vida mais saudável e, pra não mentir, um corpo mais magro!

Apesar de passar longe de blogueira fitness e estar mais na vibe de mostrar as dificuldades da rotina de alguém que tem exatamente os mesmos problemas que você, eu vou falar um pouco sobre autoaceitação…e te dar alguns conselhos!

A coisa mais difícil é a gente aceitar a própria limitação e compreender que nosso corpo tem uma estrutura x, que não é nem precisa ser igual a de fulana ou ciclana. 

Aceitar que seu braço é mais cheinho, que tem culotes, que tem quadris largos. E por que eu tô falando isso?….há coisas que a gente não muda, apenas aceita! 

O excesso de autocrítica é um inimigo diário na sua luta pra se sentir plena e feliz. Vá em busca de mudanças e melhorias do que pode ser realmente modificado e, no mais, se aceite desse jeitinho aí que você é. 

Deus é tão maravilhoso que nos fez “peças únicas”, ninguém nesse mundo é exatamente igual a você e isso é lindo! 

Você não precisa ter o abdômen trincado ou carregar marmitas pra cima e pra baixo, se essa não for a sua vibe! E tá tudo bem se essa não for a sua vibe, entende?!

A cobrança da sociedade muda a cada ciclo e agora é vez da geração saúde, que corre, faz funcional, come frango com batata doce ou até só o frango mesmo.

E quando você não está nessa rotina se sente um ET, péssima consigo mesma e aumenta a quantidade de neuras e nóias!

A vida é feita de escolhas e você precisa assumir as rédeas das suas decisões…sem culpa! Sem se comparar com A ou B, apenas visando o único e mais soberano objetivo da gente aqui na terra: ser feliz!

Não esperar entrar naquele jeans 38 pra ser feliz. Não achar que só quando você encontrar o boy perfeito, casar e ter filhos será realmente feliz. Só quando o cabelo crescer…só quando passar no concurso dos sonhos, só quando a barriga chapar e você chegar ao ponto de ir a uma festa de criança e não comer um brigadeiro, sabe?!

Perdemos muito tempo pensando nesse “se”, imaginando como seria que aquela vida, aquele corpo, aquele relacionamento fosse o nosso. Quando, na verdade, aceitar e ser gratos pelo que temos deveria ser a fonte primária da plenitude!

Deveríamos ser nossas melhores amigas, afinal, somos ótimas em colocar aquele amiga pra cima, dizer o quanto ela é incrível, o corpo está bacana, que aquele ex de bosta não a merece….mas, com nós mesmas, somos as piores inimigas que se pode ter, concordam?! Só nós criticamos, apontamos todos os defeitos, sempre achamos que podemos e devemos fazer mais, sem nunca buscar a autoaceitação e a compreensão de que somos, sim, maravilhosas!

Somos realmente passageiros de um trem e ele não tem volta! Cada dia é precioso, não desperdice sendo sua pior carrasca. Que tal fazer as pazes consigo mesma e se olhar no espelho todos os dias, antes de sair de casa, e dizer belas e gentis palavras?!

“Eu sou linda! Eu sou saudavel! Eu sou engraçada, de bem com a vida! Meus olhos são incríveis e fico Ainda mais bonita com um batom que realce meu sorriso enquanto eu dou gargalhadas de felicidade!” 

Vamos experimentar ser nossas melhores amigas a partir de hoje?! 

Sobre a blogueira

Cuca Amorim

Formada em design de moda, advogada não praticante, vivo de dieta, adoro preto e branco, azul e vermelho. Acho que simplicidade é a chave para a elegância, principalmente ao lidar com as pessoas. Sou perua de carteirinha, não saio sem maquiagem e o secador é a minha terceira mão. Uso esse espaço pra trocar experiências sobre o universo feminino, mostrando que para se vestir bem é preciso ter mais informação que dinheiro.