Destaque Sexo

A liberdade de amar

Em tempos onde se reclama da falta de amor, da casualidade dos encontros, do sexo sem compromisso, acreditem, tem gente que “ama muuuito”.

O poliamor é apresentado como uma alternativa crítica à monogamia, é a prática de manter mais de um relacionamento estável, simultâneo e consentido por todas as partes envolvidas, sendo possível apaixonar-se, amar e relacionar-se sexualmente e afetivamente em todos eles. Ao contrário do que muitos pensam, poliamor não significa um relacionamento aberto, uma suruba, desrespeito ou pegação geral. A sua base ideológica é o respeito, a liberdade, a igualdade e o amor.

Existem basicamente três tipos de arranjos poliamoristas: a “relação em grupo”, quando todos os membros do arranjo têm relações amorosas entre si; a “rede de relacionamentos interconectados”, quando cada membro tem relacionamentos poliamoristas distintos daqueles dos parceiros; e a “relação mono/poli”, quando, em um casal, um dos parceiros é poliamorista e o outro, por opção, não é. Os modelos se dividem em “aberto” e “fechado”. No primeiro caso, está colocada a possibilidade de novos amores e, no segundo, é praticada a “polifidelidade”, restringindo as experiências amorosas àquelas já existentes.

Poligamia-Poliamor-Poliamorosos

Os poliamoristas, simplesmente não acreditam na monogamia, dizem que as relações monogâmicas são como prisões, onde as pessoas não são sinceras. Afirmam ainda que não é possível viver uma vida inteira com uma única/mesma pessoa, que é óbvio que haverá momentos em que o desejo e o interesse por outras pessoas serão despertados e que seria injusto e enganoso não dividir isso com o outro. A liberdade e o respeito estão aí, no fato de você poder ser honesto com o seu parceiro, envolver-se emocionalmente e sexualmente com outras pessoas sem precisar esconder.

É importante entender isso, sendo bem específica: João pode amar Maria e Pedro de forma igual, namorar os dois, sair pra jantar hoje com Maria e ir amanhã ao cinema com Pedro. Todos sabem, todos consentem, eles também podem manter outros relacionamentos, sendo eles heterossexuais ou não.

Muitos afirmam que não são bem vistos que sofrem preconceito, que não conseguem ser compreendidos. O fundamental é a pessoa apesar das influências externas, conseguir lidar com as suas escolhas, com seu estilo e forma de amor, seja ele qual for. Ninguém estará livre de julgamentos em qualquer relação que seja. O importante é estar em paz e feliz consigo mesmo

Até a Próxima

Duda Lopes @dudalopes2

AnneMarie Lingerie @annemarielingerie

Sobre a blogueira

Duda Lopes

Maria Eduarda Bezerra de Mello Lopes, Empresária, proprietária da AnneMarie Lingerie. Graduada em Administração pela Universidade Católica de Pernambuco- UNICAP. Especialista em Marketing pela Universidade de Pernambuco- UPE e Especialista em Psicologia e Sexualidade pela Universidade de Araraquara- UNIARA.