O universo de uma artista grávida

Decoração, por

36 semanas…. Há 8 meses lá estava eu, acordada às 4h da manhã, sentada no banheiro, esperando a chegada do meu primeiro xixi do dia. Uma situação nada romântica para receber a notícia que mudaria por completo a minha vida.  A ansiedade dava lugar a certeza que eu já tinha.

Dois tracinhos. Hum… deixa eu ver de novo… dois tracinhos é grávida, não é? Sim, a bula não mente.  Levanto-me e, por curiosidade, vou em direção ao espelho. Olho bem para o meu rosto, numa tentativa infantil de enxergar algo de diferente em mim.  Tava tudo no lugar, nada diferente. Poderia não estar grávida. Vou confirmar com o exame de sangue, pensei!

Parabéns, você está grávida! Aquela notícia, pronunciada pelo médico, sem ao menos eu ter me preparado, finalmente fez com que a minha ficha caísse. Ou não… ainda tinha uma esperança. A ultrassonografia. Ela sim, tiraria todas as minhas dúvidas.

Aquela certeza que me perseguia, antes mesmo de fazer o simples exame de urina, estava sendo negada constantemente por uma nova mãe que não planejou a gravidez. Nada planejado, nada programado… Nossa, que loucura! E agora? E agora?

1472230_10151746783190913_387663490_n
Foto de Zamith Filho, com 3 meses de gravidez, as margens do Rio Negro em Manaus.
1457023_10151780317930913_121561511_n
Foto de Zamith Filho,aos 4 meses de gravidez, nas cachoeiras de Presidente Figueiredo.

Recém separada, morando sozinha, numa cidade longe de toda a minha família, com vários planos de “recomeço de vida”. Estava super entusiasmada com meus projetos e, claro, disfarçando o medo desse recomeço. Mas uma gravidez mudaria tudo por completo.

Aos poucos tudo foi se ajustando. Passar dois meses em Recife, junto da família, renovou as minhas energias e trouxe de volta a força e esperança de que eu precisava. Várias etapas precisavam ser trabalhadas antes de eu ter o meu filho nos braços. Aceitar uma separação tumultuada, com todas as suas falhas e desgastes. Sofrer, me despedir, deixar o passado de lado e, finalmente, perdoar. Aceitar uma gravidez que chegou sem pedir licença, avassaladora e inesperada. Aceitar e me permitir ser mãe, sentir, com todo o  mistério, esse amor que crescia dentro de mim, cada vez mais rápido. Finalmente,  ter que decidir o novo rumo da minha vida. Voltaria para Manaus e viveria com o meu novo amor, construindo uma nova família, ou ficaria em Recife junto a minha família, na segurança que sempre me confortou?

20131221_192327

Muitos ajustes e decisões importantes fizeram parte dessas minhas “férias forçadas”. Chorei, sofri, me despedi, rezei, meditei, conversei, desabafei, perguntei, chorei mais um pouquinho e lancei ao o universo todas as minhas dúvidas e questionamentos. Pedi respostas. Aguardei. voltei para Manaus sem as respostas que queria. Nada concreto, nenhuma luz no fim do túnel. Apenas uma sensação de que deveria voltar. Escutei o meu coração e confiei nele para traçar a minha nova vida. Manaus pedia o meu retorno.

A cidade das comidas exóticas, do povo acolhedor e da esperança, novamente me recebeu de braços abertos. Com os olhos cheios de saudades lá estava ele à minha espera, na saída do portão de desembarque. Um abraço apertado e uma conferida no barrigão de quase 7 meses fizeram parte do nosso reencontro. Estávamos juntos novamente. Cheios de esperanças e sentimentos renovados. Era a hora de nos ajustarmos às mudanças.

Quartinho do bebê, roupinhas, enfeites, acessórios, chá de bebê, plano de parto…. calma, calma, clama… Por um momento me vi cheia de preocupações e correndo contra o tempo para deixar tudo pronto para a chegada do nosso filho. Mas será que um bebê precisa de todas essas coisas ou isso faz parte dos meus desejos vaidosos e um tanto desnecessários?

Com a cabeça no lugar e a vaidade de lado comecei a refletir sobre as necessidades de um bebê. O que ele realmente precisa? O que eu preciso? O que a minha casa precisa ter para receber um bebê? Percebi que muitas das necessidades que eu estava impondo eram, na verdade, fruto de uma tradição que acompanha os novos papais e mamães de primeira viagem. Tentar enxergar além dos costumes é um pouco difícil quando tudo o que está em nossa volta nos faz repetir os mesmos padrões.

Então vamos lá! Vou querer o meu bebezinho dormindo sozinho num quarto nos primeiros meses de vida dele? Não! Então por que tô tão preocupada em reformar um quarto, se nem ao menos ele irá usá-lo? É realmente necessário fazer um chá de bebê? Verdade seja dita, ganhamos muitos presentes, mas quando estava em Recife fiz uma pequena reunião com a família e alguns amigos mais chegados e ganhei muitos presentinhos para o bebê. Muitos acessórios também foram descartados, pois não via a real necessidade em obtê-los. Passar a enxergar esse momento sob o ângulo e perspectiva do bebê ajudou-me a sentir a verdadeira necessidade dele e não apenas a minha. Deixar a vaidade e os meus caprichos de lado também me ajudou a relaxar e sentir esse momento de uma forma mais plena e saudável.

munkey
Móvel que projetei para ficar no nosso quarto. Trocador + penteadeira. Como é um móvel que será utilizado por pouco tempo, inventei algo que se possa ser reaproveitado no futuro.

 

Slide1

 

 

ospleeping1

Esses foram os únicos dois móveis que fizemos para o bebezinho. Reparem que tudo está dentro do nosso quarto. Futuramente faremos o quartinho dele. Tudo muito simples e voltado para o universo da criança.

Berço? Jamais! Vai ter uma caminha ou um colchãozinho no chão.

O projeto desse quartinho? Sim, já tenho. Caso queiram mais detalhes dele é só clicar aqui e terão tudo muito bem explicadinho.

81
Eu que fiz! :)

À medida que o tempo passa a ansiedade vai aumentando. Os medos rondam a mente… A incerteza de quando ele irá nascer transporta a futura mamãe para um mundo só dela. Sinto-me cada vez mais introspectiva, com vontade de me resguardar num ninho imaginário… Um cantinho só meu, e lá aguardar o grande momento. O momento da minha transformação. O dia em que irei dar adeus a antiga Marcela e passarei a ser mãe, fundida a outro ser para o resto da minha vida.

Cada dia que passa vou ficando para trás, uma despedida lenta e triste vai acontecendo. Nunca mais serei só eu… Um misto de sentimentos contraditórios percorrem a minha mente. Recorro às artes para tentar entender a minha transformação. Pinto e crio sem parar. A sensação é que as tintas vão acabar e preciso pintar o tempo todo. Os desenhos falam sempre do amor. O amor que está em mim e que cresce cada dia mais. É isso que sinto. Um grande amor…

Slide2

O dia se aproxima e a vontade de deixar a casa arrumada e linda para a chegada do meu novo amor aumenta. Espalho plaquinhas com mensagens positivas, deixo músicas tocando enquanto saio de casa para fazer compras, penduro novos quadros para alegrar o ambiente e assim vou transformando o astral da casa. Tudo para ele e para essa linda mudança que acontecerá em nossas vidas.

1546191_598436813572599_3436192973040031960_n

10245562_598849900197957_3909813518219012562_n

Estar grávida é uma linda transformação que acontece na vida de toda mulher. Planejada ou não essa transformação acontece de forma positiva se passarmos a senti-la como um enorme aprendizado que a vida nos dá. Só com amor há transformação e é por isso que estamos aqui, nesse mundo lindo, cheio de coisas a nos ensinar.

1509301_10200257521799571_1856642205_n

Quer saber mais sobre os meus trabalhos, meus pensamentos ou sobre o universo de uma artista? Então visita o meu blog e confere tudo por lá!

Grande beijo e até a próxima!

 

Comentários 6

4 anos de retrospectiva capilar

Beleza, Destaque, por

Um post que deu trabalho…e acho que ainda não tem todas as fases capilares pelas quais passei nesses últimos 4 anos. A mudança de de vida, status de relacionamento, auto estima, enfim, tudo interfere na vontade de mudar. Acordo querendo radicalizar, tenho que correr pro salão ou passo o dia agoniada, em termos de cabelo, imediatismo me define.

É por essas e outras que já fiz tanta merda no bichinho e agora estou tentando recuperá-lo! Mas deixando o blá blá blá de lado, vem comigo conferir essa história:

2

Bosta de rolinha. Esse era o nickname do meu cabelo, carinhosamente chamado pelo meu pai. Não nego a origem… era ruim kkkkkk Pra piorar, só o corte Michael Jackson inspired que mainha achava lindo, toda vez que reclamo ela diz que era o auge nos anos 80.

Tive uma infância traumática quanto a isso, sofri bastante bullying escolar e doméstico. Minha irmã mais velha, Raissa, sempre teve os fios longos e lisos… eu chorava litros quando a gente ia se arrumar pra escola e o pente dela ¨passava¨, já o meu, ¨estancava¨ nos nós que começavam da raiz. Era triste, mas superei.

Entrei no fantástico mundo das tintas aos 12 anos… já tive cabelo azul, vermelho e vários tons de loiro: uma desgraça. Papel crepom rosa, verde… Valia tudo pra ¨customizar¨a cabeleira. Até os 14 anos, mantive os fios bem curtos, tipo chanel, pintados de preto azulado. Eu era punk, vale ressaltar. Ok, o fato de eu ter sido punk a gente comenta em outro post.

Passei muitos anos pra conseguir deixar o cabelo grande e natural. Putz, não crescia nem a pau…a espera foi horrível, contava mês a mês pra ver o progresso. Aí, ao invés de cuidar de um cabelo meio liso com as pontas cacheadas, eu, mula, comecei a saga das tinturas novamente.

8

O loiro é lindo, estiloso, sexy, mas… fode o cabelo. Não tem como negar, a fibra e a textura das pontas ficam acabadas, mesmo a gente tomando o maior cuidado do mundo na hora de fazer. Nessa época, eu estava solteira, na farra e queria sensualizar… Tá explicado o motivo do cabelo piriguetchy feelings, quem nunca?

Aí Rodrigo apareceu na minha vida, êêêêê! Junto com ele, uma série de mudanças de comportamento, pensamento e estilo de vida. O cabelo loiro estava fora de cogitação, dava trabalho pra manter e arrumar. Tive a brilhante ideia de começar a fazer progressivas: detalhe – tenho pouquíssimo cabelo.

69

Mas nega, não era uma progressiva de salão bom, com um profissional razoável não. Eu comprava no Peixe Urbano pela fortuna de R$40,00! Tinha como prestar uma merda dessa? CLARO que não! Os lugares em que eu fazia eram tão macabros que agradeço a Deus por não ter ficado careca de vez #milagre!

Outra novidade: não é só o loiro que fode o cabelo, a progressiva vagabunda também! Nas primeiras aplicações o resultado é massa, mas, com o tempo, você repete, repete e não fica bom. Nessa época eu tinha conseguido emagrecer, estava prestes a fazer minha cirurgia de mama e lipo, me achando, me amando e me querendo.

Essa mudança psicológica veio com uma vontade incontrolável de cortar o cabelo. Eu tinha a ideia que gordinha devia usar cabelo curto, até pra ajudar a disfarçar os braços enorrrrrrrrrrmes. Um belo dia, entrei num short 38 e resolvi tosar, mudar de visual.

1

Cortei na altura dos ombros, bem reto. Mas… mais uma vez, comecei a pintar o cabelo. Thiago Salviano fez todas as mudanças que eu sonhei, foi uma galegada gradual… Loiro vicia.

3

Cheguei ao cabelo quase todo loiro, platinado, galhegaaaaaaaaaa que só. Aí eu cheguei, mais uma vez, à conclusão que os cabelos MUITOS loiros envelhecem um pouco. Não queria casar com a raiz tão modificada. Fiz mechas invertidas em cima, pra dar um efeito ombré, e deixei crescer.

k

Esse era o meu cabelo antes de casar: raiz natural, pontas platinadas. Quem tem vontade de ficar loirinha, a técnica que eu indico é essa… fácil pra manter e não estraga os fios desde a raiz. Mas…

A vida (e o meu humor) é uma caixinha de surpresas. Logo depois do casamento voltei pra Thiago me deixar mais loira. Gente, quem entende TANTA instabilidade emocional? Putaqueopariu ahahahaha! A raiz já estava natural, as pontas bem claras, então, ao puxar as novas mechas eu fiquei com vários tons misturados… É IMPOSSÍVEL o cabelo virgem atingir o mesmo tom do que já vem sendo descolorido há muito tempo.

sa

Rodrigo sempre reclama quando eu corto o cabelo e dessa vez não foi diferente. Surgiu aquela chantagem emocional básica de ¨você não faz o que eu quero…lá lá lá¨. Como eu fiquei super agoniada com os diferentes tons de loiro e não queria clarear de novo, decidi voltar à origem, ufa!

Fui no Camarim VIP pra um evento, me empolguei e saí de lá totalmente modificada. Quem pintou e cortou foi Mari, uma cabeleireira bem fera de lá. Achei chic, moderno e agora posso dedicar todo o meu tempo pra cuidar dos fios e tentar fazer com que cresçam mais rápido.

hoje

Minha meta é deixar ele desse tamanho:

meta

Será que eu consigo? hahahahaha

Qual a SAGA CAPILAR de vocês?! Quero saber TUDO!!! Por favor, quem souber alguma dica pro cabelo crescer mais rápido, compartilha aqui nos coments, ok?

Fiquem com Deus, amores!!! Espero que tenham gostado do post e não façam bullying com meu cabelo original.

Comentários 11

Décor, Look e Programa no Ar

Decoração, Looks, por

Mais um Super Nova no ar, com dicas preciosas sobre decoração e sustentabilidade. Aperta o PLAY:

Imagem de Amostra do You Tube

Ganhei de presente esse look lindo da Maria Mariah (fiz um shooting pra eles, AQUI) e quis usar imediatamente. A saia sino de moletom com viés em couro é linda, não marca e eu vou usar bastante por ser neutra. A blusa é uma t-shirt mais arrumadinha, com a frente de chifon. Montei uma produção inverno+rock´n roll, meu vício ultimamente.

Collage

A sandália é da Schutz, comprei na 7ª edição do Cabine Fashion por uns R$130,00. ADORO quando tem stand da marca, porque a promoção é PRA TORAR! A bolsa foi lá de SP.

Collage1Collage3

Com Fernanda e Vivian, donas da Casa Viva – e o pequeno príncipe de Nath, do Blog Eu Disse Sim.

Collage4Collage5Collage45

Pulseira divina da Lapidar Acessórios Femininos, estou apaixonada pela bichinha. As unhas com inglesinha eu fiz no Diva Lounge.

Collage56

1, 2, 3…gravando!

Obrigada a minha equipe MARAVILHOSA e a todas que participaram de mais um programa.

Fiquem com Deus, amores!

Tags , Comentário 1

#cucaewitalo: Bolo, Doces e Lembrancinhas

Casamento, Destaque, por

Amores,

Sei que as fotos e informações do casamento podem estar enchendo o saco de vocês kkkkkkkkk Mas tenho muitas leitoras que noivas que perguntam sobre os fornecedores, por isso dividi em tópicos, ok?

O bolo mais top de Recife, na minha opinião, é o de Thiago Freitas, da Doces Freitas. Ele tem um talento ímpar pra naked cakes, confesso que são lindos, gostosos, glamurosos, etc, etc, etc. Mesmo tendo sido à noite, eu queria um estilo mais rústico. A verdade é que minha festa teve um décor bem leve, aí combinou. Além disso, sou beeeeem chatinha com bolos, acho os tradicionais (a maioria) bregas e antiquados, é preciso que ele expresse a personalidade da noiva e esse ficou do jeitinho que eu sonhei.

bolo

Ganhei o bolo da minha irmã mais velha, o que também foi uma economia bem grande! Ela mandou fazer um tradicional, que foi cortado na cozinha e servido aos convidados.

doces

Ai gente, que dia feliz foi o da prova dos doces. Meu Deus, quantas opções deliciosas! Mari Parini está em carreira solo, atendendo em casa (por enquanto, jajá o atelier dela será inaugurado!) e foi super atenciosa comigo. Recomendo MUITO, recebi muitos elogios! Um grupo de amigas se juntou e me deu os doces, outra economia!

Com a ajuda dos amigos e da família a gente termina conseguindo fazer uma festa linda!

lembrancinhas

As sandálias mais lindas que eu já vi, não vou mentir kkkkk Clarissa Cunha (assessora de casamento) que pegou o contato da Luxo Shoes de São Paulo e providenciou a compra. Foi R$11,00 a unidade, carinho…mas como a festa foi pra poucas pessoas, encomendei só 100.

Os padrinhos ganharam uma caixa de madeira coberta de tecido com um home spray e um difusor de ambiente em miniatura da Art Box Caixas Decoradas. Bela é minha amiga e fez tudo com o maior carinho, ela é super talentosa e arrasa nos personalizados.

Os brownies (prefiro brownie a bem casado) foram de Merci Doces, uma delícia! Clarissa Cunha (a salvadora da festa, da pária, da minha vida) comprou os tecidos e as fitas. Ficou uma graça!

Gostaram das minhas escolhas?! Dicas BBB pra todo mundo realizar o sonho sem entrar num pesadelo financeiro.

Fiquem com Deus, amores!

Comentários 2

Testando: Sebastian – shampoo e condicionador

Beleza, por

Quando eu ainda era loira, fui convidada pra testar um produto massa lá em Julita e Paulo, o shampoo e o condicionador da Sebastian. Normalmente meu cabelo só ¨se dá¨com produtos baratíssimos, mas ficou super macio e hidratado com essa linha. Ganhei os dois pra continuar o tratamento em casa, uso até hoje, mesmo com os fios escuros…recomendo demais!

IMG_4371IMG_4380IMG_4383IMG_4388IMG_4445

Look: macaquito Carolina Escobar | Sandália Lara da Passarela.com | Bolsa comprada em SP | Relicário da La Lune

IMG_4447

Alguém usa Sebastian em casa? Quero dicas de tratamentos pra ajudar no crescimento… Rodrigo pediu pra eu deixar o cabelo crescer, pra isso, cortei as pontas estragadas do loiro, o que tirou um bocado o tamanho.

Bom começo de semana, meninas! Xêro, fiquem com Deus!

Deixe o seu comentário